quinta-feira, 5 de abril de 2018

A grande novidade chegou a Santo Estêvão: A DAPHI Informática está oferendo o curso Informática Empresarial - o curso mais rápido e barato do mercado. 

E o grande diferencial está no fato de ser um curso exclusivamente voltado para o mercado de trabalho, fazendo com que o aluno aprenda usar o computador exatamente naquilo que o mercado de trabalho exige. A melhor parte ficou para os funcionário de empresas, que poderão fazer o curso pelo valor único de R$ 50. 

A DAPHI distribuiu em algumas empresas três bolsas de estudo. Quem receber essa bolsa poderá fazer o curso pelo valor único de cinquenta reais, sem mensalidade: o valor do curso para quem ganhou a bolsa vai sair por apenas R$ 50. 

Se você é funcionário de alguma empresa na cidade e não ganhou sua bolsa procure já o seu gerente ou superior, pois as vagas são limitadas. 

Segue abaixo mais detalhes sobre o curso: 

CURSOS DO MÓDULO 

Operador de Computador 

Administrativo Informatizado 

Assistente Contábil 

Departamento Pessoal 

DURAÇÃO DO CURSO 

Carga horária total: 25 horas 

VALOR DO CURSO 

Sem bolsa de estudos: R$ 247,00 

Com bolsa de estudo: R$ 50,00 

NÚMERO DE VAGAS 

Sem bolsa de estudo: 110 vagas 

Com bolsa de estudo: 60 vagas 

Mas atenção: para aqueles que ganharam bolsa de estudos, as vagas serão preenchidas de acordo com a ordem das matriculas, ou seja, garante a vaga quem se matricular primeiro. 

As matrículas serão no dia 10/04/18 a partir das 07 horas da manhã no LM Center 1º andar, sala 05. 

Bolsas sendo entregues nas casas | Mas não para por aí. A DAPHI Informática está cheia de surpresas e novidades para o público de Santo Estevão e região. Além das bolsas de estudo para o curso Informática Empresarial, a DAPHI presentou a população com bolsas de estudo para os melhores cursos que a escola oferece. Se você recebeu um envelope branco em sua casa, não se assuste, pode ser uma bolsa de estudos da DAPHI INFORMÁTICA. E com esta bolsa você poderá fazer o curso mais completo de informática por um valor extremamente baixo.
A bolsa em questão é a Bolsa Ouro. Com esta bolsa, o aluno poderá cursar seis módulos de cursos de tecnologia por apenas R$ 49,99 mensal. O profissional de tecnologia da informação é considerado o profissional do futuro por isso esses cursos estão entre os mais procurados.

quarta-feira, 4 de abril de 2018


Fernando Alves Barbosa morou até os 18 anos de idade em Santo Estevão e mata a saudade de sua terra natal pelo Correio da Cidade. Fernando enviou fotos para nossa redação onde apresenta os pontos mais bonitos de Genebra, sob seu olhar. 

Filho do saudoso Pedro Dentista, Fernando hoje vive em Genebra, na Suíça e é de lá que ele manda lindas imagens para os leitores do Correio da Cidade. 

Antes de ir morar na Europa, Fernando viveu Vitória, no Espírito Santo, Governador Valadares, em Minas Gerais e na capital paulista. Há 11 anos ele reside em Genebra, onde é jornalista e cuidador de idosos. 

E é da Suíça que Fernando sempre acompanha as notícias de Santo Estevão pelo Correio da Cidade. “No Correio da Cidade eu fico por dentro de tudo que acontece em Santo Estevão com o ponto de vista de quem é da cidade”, frisou o jornalista. 


Conhecida como a capital da paz, por sediar ONU, OMS, OMC e Cruz Vermelha – além de outras 198 organizações nacionais – Genebra é um destino incrível na Suíça. Encravada entre os picos alpinos das proximidades e o terreno montanhoso do Jura, a menor metrópole do mundo é multicultural e histórica. 

Cais, calçadões ao largo da margem do lago, incontáveis parques, animadas ruas laterais no centro histórico e elegantes lojas são bastante convidativas a um passeio. Uma das ruas mais bem preservadas é a Grand Rue, onde Jean-Jacques Rousseau nasceu. As “mouettes” (um tipo de táxi aquático) permitem cruzamentos de uma margem do lago a outra, enquanto navios de maior porte convidam os visitantes a desfrutar de passeios de barco no Lago Genebra.

sábado, 24 de março de 2018




Moradores da Fazenda Várzea Nova, em Santo Estevão acumulam prejuízos após uma semana sem energia elétrica. O apagão aconteceu na madrugada do dia 12 e a energia só retornou no dia 16 de março. 

O comerciante Luciano de Oliveira Moreira, de 46 anos, foi um dos moradores que tiveram vários prejuízos. Luciano conta ao Correio da Cidade que tudo que estava acondicionado na freezer do bar foi perdido. “Carnes, camarões e bebidas perderam tudo. Meu prejuízo chega a mais de R$ mil”, contabiliza. Além dos produtos que acabaram estragando devido a ausência de refrigeração, o comerciante reclama que ficou de segunda a sexta sem vender nada no bar. “Em minha casa queimou roteador, notebook e agora fiquei no prejuízo”, diz. 

Segundo a Coelba, o apagão na comunidade rural de Várzea Nova foi ocasionado por uma falha no transformador de energia. Luciano conta que durante os dias de apagão não tinha sequer uma resposta dos atendentes da Coelba. “A gente ligava e eles mudavam as previsões de reparo a todo o momento. Isso fez com quem a gente terminasse nem providenciando um outro local com energia para guardar os produtos. Isso só piorou”, reclama. 

Luciano conta que o caso mais complicado foi de um vizinho, que precisa de diálise e sem energia, era impossível realizar o procedimento que deve ser diário. 

Outro problema semelhante ao do comerciante, encontramos há 2 km dali. O bar de dona Maria Lúcia Soares de Oliveira Bela, de 55 anos, serve refeições todos os dias e durante o período de apagão, além de ficar sem clientes, ele teve inúmeros prejuízos. “Perdemos feijoada, peixes, carnes para churrasco, camarões e bebidas”, conta a comerciante. Além disso, dona Maria Lúcia afirma que só com bebidas o prejuízo chegou a mais de R$ 1 mil. “Em casa tínhamos que beber água natural e passar uma semana preparando comida que não precisasse de nenhum equipamento ligado à energia. Foi muito transtorno”, conta. 


Tentamos contato com a Coelba, mas até o fechamento desta matéria não obtivemos resposta específica para o caso.